Papo do Pescadô

1100 – Papo de Pescadô

PARA COMEÇAR BEM…. TEM RECEITA

FILÉ DE TILÁPIA À PARMEGIANA PARA O NATAL – ESPETÁCULO !

 

Ingredientes

Peixe:

4 filés de tilápia, Suco de 1 limão, 1 envelope de caldo de peixe, 1 xícara (chá) de farinha de trigo, Óleo para fritar

200g de queijo tipo mussarela ralado

Molho de tomate:

3 colheres (sopa) de azeite de oliva, 1 xícara (chá) de cebola picada, 3 xícaras (chá) de molho de tomate, 1 pitada de açúcar, Sal a gosto, 2 colheres (sopa) de salsa picada

Purê:

1 colher (sopa) de manteiga, 3 xícaras (chá) de batata cozida e espremida, 3 xícaras (chá) de mandioquinha cozida espremida, ½ xícara (chá) de leite, ½ xícara (chá) de creme de leite, Sal a gosto

Modo de Preparo

Peixe: tempere os filés de tilápia com limão e caldo de peixe. Em seguida, empane os filés na farinha de trigo. Retire o excesso da farinha e frite os filés no óleo quente. Doure dos dois lados e reserve.

Molho de tomate: em uma panela, aqueça o azeite e refogar a cebola. Acrescente o molho de tomate, o açúcar, o sal e deixe apurar por 10 minutos. Finalize com a salsa.

Purê: em uma panela, derreta a manteiga. Adicione a batata e a mandioquinha espremida, o leite, o creme de leite e o sal. Misture até dar ponto de purê.

Montagem: acomode os peixes em um refratário, despeje o molho de tomate por cima e cubra com o queijo mussarela. Leve ao forno médio por 10 a 15 minutos até o queijo derreter. Sirva com o purê.

 

CAUSO DE PESCADOR

O SUMIÇO DA TRALHA DE PESCA

Caros amigos leitores da Coluna Papo de Pescadô. Vocês não fazem ideia de como é bom poder estar aqui quinzenalmente no Jornal O Papel.  Muitas coisas aconteceram este ano de 2017…muitas pescarias….muitos causos de pescador… muitos pescadores nos deixaram e foram para a morada eterna participar de outras pescarias…. É o caso do meu amigo Sr. Walter de Aqui, que era pescador e gente fina da melhor qualidade. Gostava de ouvir suas histórias de pescarias, contada nos mínimos detalhes. Meus olhos estão marejados escrevendo a coluna de hoje…mas vamos ao causo que ouvi há alguns meses, que aconteceu antes de chegar na barranca dos rios do Mato Grosso. Como eu disse, contada em detalhes…..pelo saudoso Walter ….Aconteceu mais ou menos assim: Por volta do ano de 1980, o sr. Walter, apaixonado por pescarias, arrumava sua tralha com grande entusiasmo. Todos sabem que para ir ao Mato Grosso naquela época, era mais difícil do que hoje, porque na década de 80 o pantanal era menos habitado e menos explorado do que é hoje, seus recursos de turismo de pesca eram precários. Portanto, os pescadores tinham que levar muita coisa, e foi isso que aconteceu. Vários sacos de estopa com toda a tralha, anzóis, lampião, colchão e outros apetrechos necessários em uma pescaria, e tantos outros que fica difícil relacionar, pois o jornal tem somente esta folha para descrever. Pois bem, a sua tralha, devidamente acondicionada em sacos de estopa, estava toda pronta em cima do muro, para depois ser colocada no caminhão da pescaria. Foi daí que a correria começou. Quando o sr. Walter foi buscar mais um dos muitos sacos com toda a sua “tralha”, percebeu que os sacos que estavam em cima do muro tinham desaparecido! Foi aquela correria: “Roubaram minha tralha…”, gritava Walter! Por fim, as filhas do Sr. Walter, a Cibela, a Cláudia, a Brígida,  disseram: “Papai, aqueles sacos eram sua tralha de pesca? Corra, porque seus sacos com as suas tralhas estão no caminhão que recolhe lixo!” Pois é, os homens da coleta de lixo da época pensaram que fossem sacos de lixo, e colocaram tudo dentro do caminhão… Imaginem a cena, o sr. Walter correndo atrás de sua preciosa “tralha” de pesca, gritando: “Parem esse caminhão! Parem… minha tralha de pesca está aí dentro!” E não é história de pescador, não! Após uma grande correria pelas ruas da cidade, o sr. Walter conseguiu recuperar toda a sua tralha de pesca e realizar a tão esperada pescaria anual do pantanal, provando assim que o pescador não mede esforços para fazê-la.

 

COTA ZERO EM MINAS GERAIS É REPROVADA POR DEPUTADOS

Votação na Assembleia teve 29 votos contrários e 14 favoráveis

O Projeto de Lei que previa a cota zero do pescado por cinco anos em Minas Gerais foi rejeitado por 29 votos contrários e 14 favoráveis na tarde desta terça-feira, 19, na Assembleia Legislativa Estadual.

O autor do PL 483/15, deputado Fred Costa (PTN), havia divulgado que “com muito esforço” conseguiu trazer o assunto para o plenário. No entanto, o assunto ganhou “ares de novela”, uma vez que sofreu pressão por parte de profissionais. Há poucas semanas uma outra proposta de cota zero para os rios mineiros, o PL 4.833/17, do deputado Anselmo José Domingos (PTC), ganhou destaque. Mas ela acabou anexada no projeto anterior, por ter conteúdo similar.

 

 ENCONTRÃO 2018

Vem ai o Encontrão Papo de Pescadô 2018. O local escolhido desta vez foi GUARUJÁ.

Post Anterior

O futebol é uma das grandes paixões do comerciante Rafael Silva

Próximo Post

1100 - Histórias Que o Povo conta - O povo Judeu

Hemerson Kennedy

Hemerson Kennedy