NotíciasSaúde e belezaUtilidade pública

APAE inicia projeto de equoterapia em Lagoa da Prata

A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais – APAE de Lagoa da Prata, iniciou desde a última semana a trabalhar com equoterapia, método terapêutico que utiliza o cavalo para o desenvolvimento biopsicossocial de pessoas com deficiência ou necessidades especiais.

[continua depois do anúncio]

O serviço é filiado à ANDE BRASIL (Associação Nacional de Equoterapia), conforme explica o coordenador do projeto em Lagoa da Prata, o fisioterapeuta Reinaldo de Aquino, o único órgão regulador reconhecido no país, com conhecimento técnico para esse tipo de trabalho.

“Eu e o Anderson (fisioterapeuta da Apae) ficamos em Brasília quase duas semanas fazendo curso com eles. Eles são muito exigentes com relação ao espaço, que tem que ser próximo à área urbana, permitir acesso fácil a ambulância e socorro médico, ter uma estrutura que ofereça três tipos de piso; terra macia, grama e chão batido, além de área de espera para os pais, banheiro, enfim”, explica.

Benefícios da equoterapia


Anderson e Reinaldo, os dois fisioterapeutas da APAE durante sessão com paciente

Com relação à terapia, Reinaldo descreve que o fato principal é o equilíbrio, mas existem outros fatores importantes no tratamento: “A movimentação que o cavalo faz é tridimensional, o que a gente não consegue fazer na fisioterapia convencional. A criança movimenta uma série de músculos ao mesmo tempo, quando está no cavalo. Além disso ela desenvolve a atenção, fortalece toda a musculatura corporal, trabalha a percepção, porque para se manter equilibrada ela mexe com o sistema sensorial todinho… Quando você senta a criança sobre o animal, pelo simples fato de estar numa posição acima do normal isso reflete na autoestima, tem vários reflexos psicológicos positivos”, evidencia.

Geralmente a equoterapia dispõe de uma equipe multidisciplinar, com profissionais da fisioterapia, psicologia, psicopedagogia, fonoaudiologia, educação física entre outros.

Inicialmente, a APAE está disponibilizando dois fisioterapeutas para o trabalho, mas a pretensão é aumentar o número de profissionais envolvidos, segundo Reinaldo.

Serviço foi viabilizado através de convênio com o município

Pelo menos quarenta pacientes estão sendo atendidos semanalmente o programa, com dois animais disponíveis. A Prefeitura estabeleceu um convênio com a entidade, via secretaria de saúde, no valor aproximado de R$ 90 mil, para custear o aluguel do Haras e o pagamento do coordenador num período inicial de seis meses. A APAE entrou com a parte técnica, cedendo profissionais do seu quadro funcional para a prestação do serviço.

“Os atendimentos são 100% gratuitos, o que contribui de forma positiva para os pais de usuários, que além de terem que se deslocar para outras cidades arcavam com um investimento de R$ 65,00 a R $90,00 reais por atendimento”, finaliza.

Post Anterior

APAE de Moema promove seminário com curso de flauta doce

Próximo Post

Associação Comercial oferece cursos do SENAC para empresas em várias áreas

Junior Nogueira

Junior Nogueira