NotíciasUtilidade pública

Seminário discute autismo em LP

A ASAP – Associação Autismo e Possiblidades de Lagoa da Prata, realiza nesta sexta-feira, dia 15 de abril , o I Seminário Autismo e Possibilidades, no Teatro Fausto Rezende, na praia municipal. O evento está previsto para começar as 13 horas e se estende até às 17 horas do mesmo dia.

Os organizadores pedem aos inscritos para comparecer no local do evento meia hora mais cedo para o credenciamento.

Convite do evento, que já teve as inscrições preenchidas

Convite do evento, que já teve as inscrições preenchidas

 

O autismo

O autismo é um transtorno de desenvolvimento que geralmente aparece nos três primeiros anos de vida e compromete as habilidades de comunicação e interação social.

Ainda não há cura conhecida para o autismo, mas é um transtorno tratável e o diagnóstico baseia-se na presença de determinados padrões de comportamento.

Uma vez identificados sinais de autismo ou mesmo estabelecido o diagnóstico (precoce), a intervenção é fundamental para a aquisição dos repertórios de comunicação, socialização, autonomia e motora, fundamentais para o desenvolvimento da criança.

Foi pensando nisso que um grupo de famílias, amigos e profissionais que convivem com a pessoa autista decidiu se unir. A ASAP que se constitui sob a forma de Associação, é uma pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, de caráter social, assistencial e educacional que terá como missão incluir e trabalhar as possibilidades da pessoa com autismo.

“Sendo assim, estamos organizando o I Seminário sobre Autismo, a fim de dar visibilidade à nossa causa”, revela a assistente social da entidade, Caroline Carvalho.

O Seminário é o primeiro evento da ASAP e almeja divulgar a conscientização positiva do autismo. “O evento é gratuito e já está com lotação esgotada e, além do publico de Lagoa da prata, cidades como Luz, Divinópolis, Pompéu e Bom Despacho se inscreveram para participar”, continua Caroline. “Os palestrantes convidados são pessoas envolvidas na luta pro-autista e foram escolhidos por representarem os segmentos da família, escola e tratamento adequado desses indivíduos que, dadas as devidas oportunidades conseguem “driblar” os sintomas do autismo e desenvolverem suas habilidades de forma a contribuir com a sociedade”, conclui.

Caroline Carvalho, assistente social da ASAP, explica que o Seminário pretende dar visibilidade ao trabalho da entidade, que é filantrópica.

Caroline Carvalho, assistente social da ASAP, explica que o Seminário pretende dar visibilidade ao trabalho da entidade, que é filantrópica.

Post Anterior

Comerciante é baleado em assalto no bairro Marília

Próximo Post

Acusado de agredir e levar à morte idoso de 85 anos é preso em Lagoa da Prata

Junior Nogueira

Junior Nogueira