O governador de Minas, Romeu Zema, acaba de anunciar o lançamento da Onda Roxa, que prevê medidas mais rígidas de restrições de horários e atividades econômicas em algumas regiões do estado.

Zema disse que “a segunda onda que vivemos é muito mais intensa que a primeira, o que ninguém havia previsto”, segundo ele.

“Muito provavelmente isso aconteceu devido a termos um vírus mutante, diferente daquele primeiro”, declarou.

Em março e abril, segundo Zema, haverá uma disponibilidade de vacinas pelo Ministério da Saúde de mais de oitenta milhões de doses.

“Com toda certeza, isso vai possibilitar uma vacinação muito mais abrangente, atingindo provavelmente todas as pessoas com mais de sessenta anos de idade e com reflexo no sistema de saúde. Até que essas oitenta milhões de doses sejam aplicadas, nós temos que enfrentar o quase colapso no sistema de saúde que estamos vivendo”, disse.

A medida deve vigorar inicialmente por 15 dias em regiões do estado.

Segundo o Secretário de Saúde do estado, Carlos Eduardo, o acompanhamento dos indicadores do Programa Minas Consciente é que irá determinar a entrada na Onda Roxa. Entre estes indicadores, estão:

Taxa de distanciamento social

Desassistência e taxa de ocupação de leitos nos hospitais

Taxa de incidência e surtos de Covid-19

Taxa de óbitos

As regiões afetadas pela Onda Roxa inicialmente são a Triângulo Norte e a Noroeste. Ainda segundo Zema, estão correndo risco de evoluir para a Onda Roxa as regiões Triângulo Sul, Norte do Estado e região Leste do Sul, que já estão na Onda Vermelha. Será adotado toque de recolher todos os dias da semana entre oito horas da noite e cinco horas da manhã. Os moradores estão proibidos de circular sem máscaras de proteção em ambientes públicos e estão proibidas reuniões presenciais de pessoas que não moram juntas, mesmo sendo da mesma família. Eventos públicos e privados estão vetados.

- Anúncio -