Por Brenna Santos

Com a necessidade de distanciamento social devido a pandemia do coronavírus, vieram muitas dificuldades, entre elas o desafio da classe artística e dos trabalhadores do meio cultural de se reinventarem. Afinal, são pessoas que dependem, na maioria das vezes, de aglomerações de gente, para praticarem seu ofício e produzirem arte.

A pandemia atingiu em cheio o planejamento de vários coletivos culturais, entre eles o Coletivo Nexalgum, um grupo de fomento à cultura em Lagoa da Prata, formado por músicos, artistas, produtores culturais, bem como, voluntários de outras áreas. Desde 2011 o coletivo produz eventos na cidade, em sua maioria intervenções e ocupações culturais em espaços públicos, como praças, ruas, escolas, a antiga estação ferroviária, entre outros.

Em janeiro desse ano aconteceu o Imergir, um festival de artes integradas, gratuito e feito para toda população de Lagoa da Prata e região.

“A ideia foi movimentar as produções artístico culturais em Lagoa, criando um espaço saudável, rico em arte e música, para troca de experiências e conhecimento”, conta Carol Shineider, uma das idealizadoras do movimento.  “Com a Covid-19, foi preciso nos reinventarmos em meio a esse cenário de isolamento. Assim, surgiu a ideia de fazermos o Imergir – Edição Virtual, com o intuito de não pararmos com as produções culturais na cidade, sendo, também, uma forma de apoiar, abrir espaço e incentivar a valorização da cena artístico cultural independente, principalmente local, de modo que haja o incentivo quanto à valorização dos artistas e músicos independentes, assunto que a gente vem frisando há um tempo, mas agora precisa de uma atenção maior, tendo em vista o momento em que vivemos“, continua.

Carol frisa que aparentemente o setor cultural terá uma dificuldade maior para voltar à normalidade, caso por exemplo dos músicos, que foram atingidos rapidamente com os efeitos do distanciamento social, com cancelamento de shows, eventos e ocupações nas ruas, destacando a importância de voltar a atenção para as produções artísticas independentes, apoiando principalmente artistas locais neste momento.

Com o intuito de dar espaço para quem produz arte, música e literatura e trazer conteúdo diversificado para as pessoas em tempos de pandemia, ainda assim assegurando a saúde e colaborando para a não propagação do vírus, o Imergir – edição virtual, acontece todo online através do Instagram do Coletivo Nexalgum (@coletivonexalgum) e a programação é semanal, abordando assuntos pertinentes a serem colocados em pauta nos dias de hoje. Mantendo a ideia de trabalhar com artes integradas do primeiro evento, a programação conta com diversos quadros, englobando distintas áreas culturais. Por lá você encontra dicas de música, literatura, filmes; debates; workshops; exposição de arte e lives musicais.

“É uma programação formada por várias mãos, sempre recebemos convidados e também estamos abertos a sugestões, para isso, deixamos formulário de inscrição aberto enquanto durar esse projeto, para quem queira participar de algum quadro que forma a programação. Fica o convite para conhecerem e estarem por dentro do Imergir através do Instagram do Coletivo Nexalgum (@coletivonexalgum) e, para os artistas e músicos que queiram participar da programação, o link para inscrição pode ser encontrado na biografia do Instagram”, conclui Carol..

- Anúncio -