Ex-prefeito Paulo Teodoro. Foto: acervo Jornal O Papel

Ex-prefeito chama procurador municipal de Covarde e diz que vereadores cometeram crime e fizeram festa com dinheiro do povo

De volta à cena política, o ex-prefeito de Lagoa da Prata, Paulo Teodoro, disse em entrevista na Rádio Veredas na tarde desta segunda, 22, que a câmara municipal cometeu crime ao realizar festa para homenagens no mês de Março.

Ele disse que foi até a emissora rebater as declarações feitas na semana passada pelo procurador municipal, Laelson de Lima, que ameaçou Teodoro de processo por incitação ao desrespeito a normas sanitárias.

“Esse procurador covarde falou que eu estou incitando a população… Covarde! Pavão! Deveria ter falado comigo, lá na rua, ô prefeito vamos conversar vou te falar o que nós vamos fazer agora. Como é que ele não estava lá na hora da Câmara de Vereadores realizar uma festa com dinheiro público? Foi festa! Com música ao vivo (…) festa com o dinheiro do povo. Aglomeração com grupo de risco da câmara de vereadores há duas semanas atrás”.

Ele se referia à entrega da Medalha Osmari Clarinda, no último dia 12, que acontece tradicionalmente no mês de Março para homenagear mulheres de destaque na comunidade.

Segundo Teodoro, ele pretende denunciar o evento à justiça, por considera-lo criminoso.

“(…) Esse crime aí que eu tô te dizendo aqui agora que teve lá na câmara de vereadores, todo mundo vai responder, se é crime eu não sei, mas que vai pro Ministério Público vai”.

E continua…

“E o que é pior, a festa foi realizada com dinheiro do povo. Com dinheiro do comerciante que está com as portas fechadas. E por que você, procurador, não foi lá e falou com o prefeito que é o chefe do executivo, pra não participar dessa festa? Estava lá a presidente da Câmara, os vereadores e o chefe do Executivo… Poderes estavam reunidos, isso é crime, crime que eu vou mandar pro Ministério Público!”

Pandemia

O ex-prefeito chamou o procurador de covarde e pavão diversas vezes e também criticou duramente o enfrentamento ao Coronavírus na cidade.

“A campanha de combate à pandemia em Lagoa da Prata está fraquíssima, estou falando como cidadão, fraca… Lá no começo dr. Geraldo (ex-secretário de saúde) já tava falando em hospital de campanha, tava olhando o CAPS pra reformar, e por isso a gente tava economizando dinheiro (…)”, disse.

Paulo Teodoro questionou também uma licença concedida a uma servidora da Prefeitura para ocupar cargo comissionado na Câmara.

“O sr. autorizou, acredito que seja orientado pelo procurador, a dar uma licença sem remuneração a uma servidora da prefeitura e ela foi assumir um papel, um cargo na câmara de vereadores. Crime de improbidade. Por que? Você só dá uma licença sem remuneração em último caso. O serviço já tá aqui puxado no município. Você tira uma pessoa daqui, do cargo dela (…) e ela vai lá pra câmara ganhar cargo comissionado, ganhar sei lá, quatro, cinco mil reais? Crime! Será denunciado. Será mandado pro Ministério Público. Prefeito, servidora e presidente da Câmara. E o procurador vai junto, porque ele tem obrigação de orientar o prefeito”, afirmou Paulo Teodoro.

Presidente da Câmara desmente ex-prefeito

Carol Castro, presidente da Cãmara, em entrevista ao editor do Jornal O Papel, Junior Nogueira, por ocasião da posse em janeiroi. Foto: acervo O Papel.

A vereadora Caroline de Carvalho Castro, presidente da Câmara Municipal, disse em nota enviada ao Jornal O Papel que o ex-prefeito Paulo Teodoro mentiu quanto à instituição ter promovido uma festa.

“Inicialmente gostaria de esclarecer que não houve festa. Isto é mentira. O que houve foi uma Sessão Solene, cumprindo o protocolo anual do Legislativo, como feita em anos anteriores. Este ano em especial não foi servido salgadinho nenhum, nem refrigerante, nem suco, nem café. Basta perguntar às homenageadas e aos profissionais que trabalharam no evento. Vocês podem também conferir as imagens no YouTube”, diz a nota.

“Não houve música ao vivo da forma que ele colocou, querendo demonstrar que era uma festa. Na verdade, foram cantadas três músicas em homenagem às mulheres que receberam as medalhas. Todas as medidas foram adotadas e respeitadas pelos presentes, estando todos com máscara e com distanciamento de segurança”, contina a presidente.

Sobre a nomeação de servidora a que se refere Paulo Teodoro, a presidente da Câmara esclareceu:

“Em relação à nomeação da empregada pública Roseli Penha Tavares na Câmara Municipal, entendo que a nomeação é legal, pois ela ocupa emprego público comissionado, de livre nomeação e exoneração. Portanto, não vejo ilegalidade nenhuma nesta nomeação”.

Procurador irá se manifestar

O procurador do município irá se pronunciar. Ele disse que hoje está empenhado na elaboração de um projeto sobre a Covid-19 e que concederá uma entrevista à TV Lagoa no mais tardar nesta terça-feira, onde irá comentar item por item do que foi dito pelo ex-prefeito.

- Anúncio -