Foto: João Vasco

Músicos portugueses apresentam o Concerto Multimédia Tocando Portugal dia 12 de novembro, 20h, na Câmara de Santo Antônio do Monte

Gratuito, espetáculo aos sons de violino, clarinete e piano, depoimentos e projeções de filmes inéditos sobre as regiões portuguesas e a cultura lusitana.

Após circular por Portugal, Alemanha, França, Namíbia, África do Sul, Estados Unidos, Cuba, Suíça, Tunísia, Cabo Verde, Espanha, Dinamarca, China, Bulgária, Hungria e Grécia, o Concerto Multimédia Tocando Portugal, chega à Santo Antônio do Monte, dia 12 de novembro, às 20h.

A apresentação acontece na Câmara da cidade e tem patrocínios da República Portuguesa – Cultura, por meio da Direcção Geral das Artes, do Banco SICOOB Credimonte e apoio cultural da Secretaria de Cultura e Turismo de Santo Antônio do Monte.

Haverá também uma sessão especial, às 16h, para os profissionais da saúde e educadores, duas áreas tão importantes, sobretudo durante o período pandêmico.

Músicos portugueses apresentam o Concerto Multimédia Tocando Portugal dia 12 de novembro, 20h, na Câmara de Santo Antônio do Monte. Foto: Andréia Carvalho.

O recital, gratuito, é concebido e interpretado pelo Trio “Rumos Ensemble” formado pelos músicos João Vasco – pianista, realizador e arranjos, Luís Gomes – clarinetista e Anne Victorino d’Almeida – violinista e arranjos.

Eles reúnem músicas tradicionais de dez regiões portuguesas, arranjadas e executadas, ao vivo, enquanto o público confere projeções de filmes inéditos de várias regiões de Portugal.

Entre as obras musicais executadas estão ALGARVE (Recordai Nobre Senhor), MINHO (Rosinha), RIBATEJO (Fandango), TRÁS OS MONTES (Tema Tradicional de Mirandela), ALENTEJOÓ (Rama ó que linda Rama), BEIRAS (Indo a Dona Silvana), LISBOA (Um Homem na Cidade), PORTO (Malhão do Porto), MADEIRA (Bailinho da Madeira) e AÇORES (Olhos Pretos).

Durante o concerto há depoimentos de personalidades portuguesas naturais de cada região, como António Victorino d’Almeida, Graça Morais, Janita Salomé, Carlos Alberto Moniz, Rosa Mota, Lídia Jorge, entre outras.

Para a diretora de produção Candice Frederico esta é uma oportunidade única para os espectadores conhecerem melhor o universo cultural português.  “O público poderá desfrutar de músicas portuguesas ao vivo interpretadas por renomados artistas, além de acompanhar imagens de diferentes regiões do nosso país coirmão, ouvir, através dos depoimentos, a sonoridade da Língua Portuguesa falada por lá. Um concerto potente que reforça a memória e identidade coletiva de uma nação”. – Conclui Candice.   

Segundo Antenógenes Antônio da Silva Junior, Presidente do Sicoob Credimonte, acolher aqui o trio português, não só vem reforçar laços de consanguinidade étnica, vem também buscar conhecer esta maravilhosa cultura. “Receber em nossa Santo Antônio do Monte um evento deste porte, representa e reafirma indubitavelmente, a importância de nossa cidade no cenário mineiro, seja em que âmbito for, pois sempre fomos exportadores de cultura e alegria, e agora, com a recepção do Tocando Portugal, com toda carga histórica/cultural que carreia, faz um resgate de nossa essência.” – Finaliza Antenógenes.

A pertinência e singularidade deste recital emerge não só da interdisciplinaridade e transversalidade artística e estilística que alicerçam a sua gênese, como da vontade de três músicos eruditos com carreiras internacionais assinaladas nos quatro continentes, de olhar para o património musical tradicional português com uma energia renovadora, contemporânea, porém acessível a todos os tipos de público, do mais erudito ao mais popular.

De acordo com o Secretário de Cultura e Turismo Ismael Henrique Costa, ofertar um espetáculo dessa magnitude, homenageando inclusive os profissionais da Saúde e Educação, dentro das comemorações do aniversário de 146 anos da cidade é um marco especial. “É emblemático, que a nossa cidade possa se voltar para suas origens portuguesas exatamente nessa efeméride. Considero também especialmente potente iniciar nossa travessia de retomada para eventos públicos com beleza, força, coragem e esperança.” – Afirma Ismael.

As sessões obedecerão a todos os protocolos exigidos no momento devido à covid 19. Será obrigatória a apresentação do cartão de vacinação atualizado para assistir ao espetáculo. As reservas deveram ser feitas na Secretaria de Cultura.

Ficha Técnica

Idealização: Rumos Ensemble.

Músicos: João Vasco – Pianista, Realizador e Arranjos / Luís Gomes – Clarinetista e Anne Victorino d’Almeida – Violinista e Arranjos

Direção de produção: Candice Frederico

Assessoria de imprensa: Carlos Gilberto – 34 – 99855 7667

Serviço: 

Concerto Tocando Portugal

Endereço: Câmara de Santo Antônio do Monte – MG – Rua Otaviano Greco, 14 – Monsenhor Otaviano, Centro.

Horário: 20 h – Capacidade: 120 Lugares

Sessão especial para profissionais da saúde e educação: 16 h

Classificação: 18 anos Duração: 60 minutos – Gratuito

Pré-reserva pela Secretaria de Cultura

(37) 3281- 5826

tocandoportugal@gmail.com

Pré-reserva para a sessão especial:

Profissionais da saúde: (37) 3281- 7560

secsaude@samonte.mg.gov.br

Profissionais da educação:

(37) 3281-7618

pedagogicosemedsamonte@gmail.com

BIOGRAFIAS INTÉRPRETES

João Vasco – pianista e arranjos. Professor de piano na Escola de Música do Conservatório Nacional em Lisboa. Divide-se entre os palcos, o ensino, a fotografia e o vídeo. Atuou em vários países na Europa, América do Norte e do Sul, África e Ásia, e nas salas e teatros mais importantes em Portugal. Autor e intérprete do CD “Alémfado”, para piano solo; o DVD “Tocando Portugal” do trio Rumos Ensemble; o CD “2016”, o seu primeiro trabalho como compositor e intérprete, para trio com piano; o CD “20Fingers – de Mozart a Chico Buarque, com o pianista Eduardo Jordão. Diplomado pelo Conservatório Nacional de Lisboa, licenciado pela ESML e Mestre em Artes Musicais pela Universidade Nova de Lisboa. Desde 2010 coordena o departamento de imagem da EMCN. Em 2014 realizou a curta metragem “A Carruagem”, laureada no 9º Concurso do Inatel, apresentada no “Shortfilm Corner” em Cannes e vencedora do “Grand Prix Cinerail” em Paris. Em 2017 realizou a curta metragem documental “O Entalhador ou A Oficina Mais Bela do Mundo” selecionado para festivais de cinema na América e Europa e visionado em países de quatro continentes, venceu o prémio do público na 18ª edição do “Lucania Film Festival” no sul de Itália. O seu último filme “111 671 – Balada para um piano” é um longa-metragem documental já selecionado e laureado em Festivais Internacionais de Cinema.

Anne Victorino d’Almeida – violino arranjos. Licenciada em violino pela Academia Nacional Superior de Orquestra, em Lisboa. É filha do pianista e compositor António Victorino d’Almeida, divide sua carreira musical entre o ensino, a interpretação e a composição. Professora de violino na Escola de Música do Conservatório Nacional desde 2004, é regularmente convidada para orientar master-classes, destacando-se Maputo em 2011 e 2012 e Curitiba em 2013. Como violinista, membro fundador do Quarteto Lopes-Graça entre 2004 e 2013 (vencedor de prêmio autores RTP/2010). Prêmio em 1997 com “Melhor Proposta Musical do Teatro na Década 97”. É membro fundador do Quarteto Camões e do “Rumos Ensemble”.

Luís Gomes – clarinete, clarinete baixo

Diplomado pela Escola Superior de Música de Lisboa (licenciatura), pelo Conservatório Superior de Roterdão (U.M.), e Mestrado em Psicologia e Pedagogia da Música na F.C.S.H. da Universidade Nova de Lisboa, trabalhou com clarinetistas mundiais como: Guy Deplus, Michel Arrignon, Philipe Cuper, Walter Boykens, David Campbel, entre outros. Obteve os seguintes prêmios: 1º Prêmio do Concurso da Juventude Musical Portuguesa. Solista e 1º Prêmio – Música de Câmara, 1º Prêmio de Música de Câmara do Prêmio Jovens Músicos, 1º Prêmio no Concurso Cultura e Desenvolvimento, 2º Prêmio do concurso televisivo ouvir e falar, 2º Prêmio do Concurso Cultura e Desenvolvimento Música de Câmara, 3º Prêmio Solista do Concurso Nacional de Clarinete de Setúbal e Prêmio Melhor Interpretação da Obra Portuguesa. Foi solista das seguintes orquestras: Orquestra Mundial das Juventudes Musicais, Orquestra de Jovens do Mediterrâneo, Nova Filarmonia Portuguesa, Sinfónica Juvenil, Orquestra Portuguesa da Juventude. Tocou a solo com a Orchestrutópica, a Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras, o Grupo de Música contemporânea de Lisboa e a Banda Sinfónica da PSP. Colaborou regularmente com a Orquestra da Fundação Calouste Gulbenkian entre 1989 e 2015, e ainda com as orquestras Sinfónica Portuguesa, Orchestrutopica, Sinfonietta de Lisboa e Metropolitana de Lisboa. É membro fundador do Trio de Clarinetes de Lisboa (atual Quarteto de Clarinetes de Lisboa), do Grupo de Música Contemporânea de Lisboa, do Rumos Ensemble e da direção da CULTIVARTE Associação.

- Anúncio -