Após as mudanças no plano “Minas Consciente” anunciadas pelo secretário de Estado de Saúde, o médico Carlos Eduardo Amaral, nesta quarta-feira (27), o Comitê Executivo Covid-19 definiu pelo avanço da macrorregião Oeste para a Onda Amarela. Não foi informado quando as novas determinações passarão a vigorar.

A macrorregião Oeste regrediu para a fase mais restritiva do programa no dia 2 de janeiro.

A partir de agora todas as atividades vão poder funcionar nas cidades que aderiram ao programa, contemplando inclusive as que estão paradas desde o início da pandemia de Covid-19, independente da onda em que estão. Os protocolos a serem adotados vão variar conforme a “onda”, sendo a vermelha a mais restritiva.

De acordo com o Estado, “os critérios para definição das ondas não sofrerão modificações e continuarão embasados por indicadores como incidência da doença e capacidade de atendimento hospitalar”. Estão na Onda Amarela: Norte, Oeste e Vale do Aço; na Vermelha: Triângulo do Norte, Noroeste, Centro, Jequitinhonha, Leste, ​Leste do Sul, Nordeste, Sudeste, Centro-Sul e Sul; e na Verde: Triângulo do Sul.

O governo de Minas afirmou que a fiscalização será feita pelos gestores municipais e terão apoio da Polícia Militar (PM), além da própria população por meio de denúncias de descumprimento das regras.

Nesta terceira versão do plano estadual, mesmo que a cidade esteja na Onda Vermelha, comércio e eventos, por exemplo, serão liberados. Contudo, algumas regras de distância como capacidade e limite de ocupação, devem ser seguidas. Há também restrição de algumas atividades que correspondem aos serviços essenciais, como padarias, bancos, farmácias e supermercados.

Em caso de eventos, cada onda terá limitação de eventos. Na Vermelha, 30; na Amarela, 100; e na Verde, 250. O Estado afirma nas duas primeiras etapas citadas anteriormente, o protocolo é mais restritivo; envolve o controle de fluxo na entrada dos estabelecimentos, o limite de uma pessoa por atendente no comércio não essencial, a proibição de autoatendimento para reduzir o contágio dentro dos estabelecimentos, a medição de temperatura na entrada e o estímulo aos agendamentos.

Já os hotéis e atrativos culturais e naturais, será permitido 50% da ocupação na fase mais restritiva, 75% na Amarela e 100% na etapa menos restritiva.

Na área da educação, um estudo individualizado está sendo desenvolvido, conforme o Estado; as escolas ainda não passarão por mudanças neste momento. Ainda nesta quarta-feira, um Grupo de Trabalho foi criado pelo Comitê Extraordinário Covid-19 para debater as possibilidades de retomada das aulas presenciais.

Participarão do grupo membros das Secretarias de Estado de Saúde e de Educação, da Sociedade Mineira de Pediatria e da Associação Brasileira de Neurologia e Psiquiatria Infantil e Profissionais Afins.

Fonte : G1

- Anúncio -